quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Gravidez por acidente. É possível?


Há alguns dias, estava na fila do banco e ouvi a conversa de duas amigas. Elas estavam falando sobre gravidez e em determinado momento uma falou que engravidou por acidente aos 38 anos. Essa revelação me fez pensar sobre o assunto. Fiquei me perguntando se realmente existe gravidez por acidente.

Até existem casos em que a camisinha estoura, mas as pesquisas mostram que isso costuma acontecer mais por uso indevido do que por falha do produto. Hoje, também há a pílula do dia do seguinte, disponível nos postos de saúde e vendida em farmácias livremente. Já houve um caso em que a pílula era de farinha, mas o acontecimento virou processo na Justiça e as vítimas foram indenizadas. Também pode haver falhas por parte dos médicos que garantem às pacientes que os anticoncepcionais excluem as chances de gravidez, no entanto, isso é impossível.

Seja qual for a situação, acredito que são pouquíssimas as chances de gravidez acidental. O que existe são muitos casos de gravidez indesejada e não planejada, o que é totalmente diferente. Se a moça citada acima não engravidou até os 38 anos e não estava usando métodos contraceptivos, ela realmente estava querendo testar as possibilidades.

O meu estranhamento quando escuto alguém dizer que engravidou por acidente é porque acredito que o termo é empregado de maneira errada. Por exemplo, quando alguém dirige acima da velocidade permitida e bate o carro, não é acidente. É imprudência. O mesmo ocorre com uma gravidez indesejada.

A imperícia para evitar uma gravidez ocorre de várias formas. Entre as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais, existem as que se esquecem de tomar e acham que tomando duas no dia seguinte está tudo resolvido. E também há aquelas que só usam a camisinha no fim da relação sexual. Assim fica difícil, né?

É óbvio que o método contraceptivo adequado vai variar muito de mulher para mulher. O que é bom para uma necessariamente não é bom para outra. Mas hoje existe uma gama de variada de opções e com certeza uma irá atender os desejos e necessidades de cada mulher.


9 comentários:

  1. viu ai galera fudelança total mas com camisinha emcapando o bicho.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse post Patrícia.
    Não se deve confundir acidente com Imprudencia.
    E o exemplo do mau motorista foi ótimo.

    ResponderExcluir
  3. pra vc q me guenta de todas as formas, adoro os seus posts sabe que sou bem ogro, mas achei minha fiona e detalhe ela escreve muito bem. Continue com seus posts muito bons.

    ResponderExcluir
  4. Brigada, meu ogro mais doce do mundo. Mas você é suspeito para elogiar...haha!

    ResponderExcluir
  5. Parabens pelo texto. Conheci o blog no google e vem a acompanhado e a sua coluna é a que mais gosto. Vc aborda temas interessantes e escreve mto bem. Parabéns pelo talento.

    ResponderExcluir
  6. Tb não concordo qdo falam gravidez por acidente. Boa abordagem, o texto tá muito bem escrito, as pessoas que apreciam um texto bem construído estão carentes hj em dia, bom encontrar um texto como o seu por aqui.
    ate o proximo post.

    ResponderExcluir
  7. Engravidei aos 15 anos e sempre disse que foi por acidente, mas depois de ler esse texto chego a conclusão que realmente não foi acidente foi imprudência. Nunca mais vou dizer que a minha gravidez foi um acidente, pois apesar de ter dificultado algumas coisas na minha vida me trouxe muitas alegrias.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  8. Eu concordo o que mais tem é menininha sem responsabilidade que engravida e fica falando que é acidente. São burras pq para o cara é muito mais fácil.
    Vamos abrir o olho mulherada!

    ResponderExcluir
  9. Realmente.
    Acidente é eufemismo pra "eu deixei"

    ResponderExcluir