sábado, 12 de março de 2011

Encontro de Gerações!


Sábado, 12 de março de 2011, dia de mais uma postagem do ANTENADO, beleza galera?

É isso aê, essa semana foi marcada por vários acontecimentos, alguns deles foram: O desfecho do Carnaval 2011, o dia internacional da Mulher, e outro bastante marcante foi o intenso fenômeno natural que atingiu o Japão.


Mas não é sobre isso que irei falar hoje, e sim sobre a Adolescência. Isso mesmo, sobre a Adolescência, sei que esse assunto é bastante complicado e abrange várias coisas, mas espero que gostem.

Bom, resolvi escrever sobre esse tema devido estar fazendo uma pesquisa sobre isso na faculdade, e ter me interessado bastante pelo assunto. Minha pesquisa é mais especificamente sobre: A adolescência nas diferentes gerações, to tentando me aprofundar mais no assunto, já descobri tantas coisas interessantes que não sabia, e outras que sabia, mas só não tinha certeza.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, adolescente é aquele que está entre os 12 e 18 anos, a Organização Mundial da Saúde já diz que adolescente é aquele que está entre os 10 e 20 anos.

A adolescência não é marcada apenas por alterações físicas, mas também por alterações psíquicas, sociais, e de acordo com o tempo vão aprimorando cada uma dessas alterações, dependendo da época e da cultura em que estejam encaixados.

Pra entender sobre o que eu estou falando, vamos primeiro ver quais eram as ‘gerações’ que existiam antes da nossa, á bastante tempo atrás:

Geração Paz e Amor;

Geração Coca – Cola;

Geração Xuxa;

Geração Saúde;

Geração Baby Boomers.



Agora vamos tentar entender uma coisa: Como definir a geração de adolescentes de hoje?

Eu realmente não sabia, até ler alguns textos. Segundo uma pesquisa realizada, a melhor expressão a ser usada para nomear essa geração seria: consumistas, individualistas e comodismo. Realmente esses termos se encaixam bastante na nossa realidade, você consegue imaginar como vai ser chamada a geração daqui a uns 30 anos? Eu prefiro nem imaginar, kkkkk!

Pois é, ser jovem é muito bom, mas será que você está aproveitando essa juventude como deveria? O que tem feito? Está trabalhando? Estudando? Ou apenas curtindo a vida sem pensar nas conseqüências?

Só não se esqueça de uma coisa, a juventude passa rápido, não se prenda apenas ao presente, porque o futuro vem logo depois, e você tem que ta preparado pra ele.

Foram várias as diferenças que encontrei ao entrevistar pessoas de diferentes gerações a respeito de sua adolescência, algumas delas foram sobre:

Drogas;

Sexo;

Música;

Religião;

Política;

Educação.

Nas gerações passadas as Drogas não tinham muito espaço nas vidas das pessoas devido ao fato de ser tudo muito escondido, tudo muito ‘por debaixo dos panos’. Diferente de hoje que todo mundo sabe que existe, todo mundo sabe que não faz bem, e mesmo assim, a incidência de drogas só cresce a cada dia.

No sexo também era bem diferente dos dias de hoje, a camisinha era usada mais por conta do perigo de se engravidar, não tinha tantos perigos como existem hoje. Hoje a camisinha é usada não apenas contra a gravidez, mas sim também por conta das possíveis doenças que as pessoas podem adquirir ao transar sem camisinha. O sexo antes era muita curiosidade e pouca prática, hoje como todo mundo já sabe de tudo, é muita prática e menos curiosidade.

Na música são claras as diferenças, antigamente as músicas eram mais de cunho significativo, as pessoas escutavam muito MPB, devido às bonitas melodias e significativas letras. Hoje a cultura americana entrou com tudo nessa geração, cada um tem seu estilo musical, seja ele rock, pop, eletrônico, funk, hip hop ou até mesmo forró.

Na Religião também encontrei algumas diferenças, antes ou você era católico ou você era protestante, e não acreditar em nada era uma coisa absurda. Hoje você é livre para escolher o que quer seguir, e não tem tanta cobrança como se tinha antigamente.

Na política também existem diferenças, como por exemplo, antes existiam grupos de jovens que se uniam para ir atrás dos seus direitos, como o movimento das ‘Diretas Já’, em que os jovens lutavam por um país democrático, em que eles pudessem eleger seus governantes. Bem diferente de hoje, em que muitos jovens só votam porque o voto é obrigatório, muitos não estão nem ai para quem vai ou não governar o seu país.

Na Educação, os adolescentes das gerações passadas, já tinham em suas mentes que se estudassem e se esforçassem, futuramente teriam um bom emprego, uma boa vida, e muitos não estudavam pela falta de oportunidades que tinham, pois desde muito cedo tinham que sustentar suas casas, realidade bem diferente da que vivemos hoje, hoje só não estuda quem não quer, muitos dos adolescentes não tão nem ai pra escola, pra educação, só querem saber de farra, e a minoria que quer saber de estudar, muitas vezes estudam, conseguem seus objetivos, e sentem falta de uma ajuda por parte das autoridades, de dar mais oportunidade aos jovens.

A adolescência é a fase da vida em que o indivíduo é criança em seus jogos, brincadeiras, e é adulto com seu corpo, com seus novos sentimentos e suas expectativas de futuro.


“Seja adolescente, e não deixe que sua imaturidade transforme-o num adulto precoce”
.

E você o que quer pra adolescência das próximas gerações?

Curte aê: ( Comida - Titãs )

Té a Próxima!


quinta-feira, 10 de março de 2011

Conversa é isso, sexo é aquilo.

Carnaval. No Brasil, o feriado é conhecido por explorar ao máximo a sexualidade. Aproveitando o clima carnavalesco, resolvi falar sobre SEXO, que apesar de representar um papel diferente na vida de cada um, em geral, é uma forma de comunicação e uma maneira de discutir a relação.

Para alguns casais, o sexo é o elemento reconciliador, sempre transam depois de uma briga. Para outros, funciona como aproximação, acontece depois de um período de distanciamento ou de crise. Também há o sexo movido apenas pelo desejo do momento. Sexo é imaginação, fantasia, como destaca Rita Lee, na música Amor e Sexo.

É evidente que a importância do sexo numa relação varia muito de acordo com o perfil dos parceiros. Porém, numa relação equilibrada ele deve vir acompanhado de uma boa dose de conversa. Como diz uma frase bem conhecida - da qual não me lembro o autor- “Case-se com uma pessoa com quem você converse muito, pois com o passar dos anos será o que mais vão fazer”.

Os casais precisam ter sintonia e química nos dois aspectos, pois a ausência de um deles cria um abismo na relação. Casais que conversam muito e transam pouco vão perdendo a sintonia e ficando cada vez mais distantes. Sentem-se inseguros, pouco atraentes e transformam qualquer coisa em ameaça.

A ausência de diálogo também é maléfica. Acredite: a sintonia sexual não supre todas as necessidades. Para uma relação ser bem-sucedida, o casal precisa sentir admiração, respeito e cumplicidade, e esses sentimentos não são encontrados na cama. São conquistados no cotidiano, na maneira como o outro demonstra o que sente por você e no modo como encara a vida.

Algumas pessoas acreditam que é impossível existir a mesma sintonia nos dois aspectos, mas a atração física e a mental não só podem como devem andar juntas. É possível que você sinta por uma só pessoa uma atração surreal e também uma vontade de dividir todos os momentos da sua vida.

Porém, algumas vezes, essa afinidade nem sempre vem no primeiro momento. O destino não nos apresenta pessoas perfeitas. Essa sintonia precisa ser buscada dia após dia. É uma luta diária. Se há uma relação carnal muito intensa ou uma vontade de passar horas conversando com alguém, já é um belo pontapé. Cabe aos envolvidos desenvolver os demais aspectos.

Isso não é fácil, mas talvez valha a pena tentar. Se o seu parceiro (a) diante de qualquer problema quer discutir a relação, tente vez ou outra dar uma chance de resolver em silêncio, com apenas um beijo. Já se diante de qualquer discussão ele (a) quer resolver tudo na cama, experimente fazer o contrário e converse seriamente. Talvez isso funcione, talvez não.

Seja flexível na sua vida amorosa. Se a conversa não flui, experimente ir pelo erotismo. Se uma boa noite juntos não está preenchendo os vazios, tente o diálogo. Pode ser que assim você construa um relacionamento feliz, mas se não der certo, você poderá dizer que tentou.

Para finalizar o post em grande estilo segue o link da música Amor e Sexo.

segunda-feira, 7 de março de 2011

NOSSARAÍZ


A real do que eu vejo nos barraco de madeira faz pensar que o LAZER não acaba antes da quarta-feira
Pega os bagulho bora pra PISTA,passista
Mestre sala,porta bandeira,o negócio o compasso da batucada
Coração em disparada,esquece as conta,os problemas,a causa da LUTA
ARMADA com a lantejoula da fantasia brilha mais que a ESTRELA no olhar quando ouve a BATERIA
A ORDEM é sambar
Morro VAZIO,só tá eu e o TIO da igreja,sem breja,sem FOLIA
Finda a FESTA,sexo,orgia,ressaca,os neguinho volta a ser só os PRETO,saca?
Dor no CORAÇÃO,alma sem luz,pede perdão,rezando pra receber o PARAÍSO de JESUS
VAMO acordar favela
Nossa RAÍZ tem beleza natural sem PHOTOSHOP de modelo de novela
O barulho das batucada nem faz tanto barulho quando nosso SONHO se contorce na calçada
É tudo NOSSO comunidade
ABRE o OLHO e vê quem APROVEITA o carnaval de verdade
Não tem hora melhor pra dar um basta nas bandeira de LUTO
Quantos morre por causa desses puto?
A essência dos partideiro já não existe na cadência do samba
Vida longa pra nossa RAÍZ
o VALOR disso não tem preço,coração de gente BAMBA
Meu desfile é TODO dia,minha fantasia é a BELEZA do SORRISO dos preto que dá o SANGUE em BUSCA do SONHO de criança que tá guardado em ALGUMA lembrança das ÉPOCA de alegria



ONELOVE...



P.s. : Eu gosto da cultura CARNAVAL,mas só não concordo com a ESSÊNCIA que foi perdida em cada compasso das escola de samba,e no FESTIVAL que se tornou NOSSA raíz brasileira!

domingo, 6 de março de 2011

Burro. Dá zero pra ele!



Olá muchachos!
Então, aproveitando o carnaval? Aproveitem, e, por favor, não façam besteira. Todo mundo quer cair na bagaceira, beijar todo mundo, fuder com tudo, e o mundo que se acabe! Peraí! Beba com moderação, use camisinha, e tenha pelo menos um pingo de juízo.
Haa, tô adorando esse feriadão, não vou viajar nem festejar em lugar nenhum, vou descansar, namorar, e ver minhas amigas. Essa semana foi mais do que cansativa pra mim, as aulas começaram, estou dormindo menos, e as obrigações de antes devem ser cumpridas da mesma maneira. Tô em fase de adaptação.
Mas apesar do cansaço, tô feliz. As aulas são interessantes, a turma é boa e bem diversificada. Eu nunca tive dúvidas de que queria ser jornalista, mas agora tô tendo mais certeza ainda.

Agora vamos deixar de papo fiado (apesar de tudo ser papo fiado aqui), e vamos ao assunto de hoje: burrice.
Calma, calma, não criemos pânico! Eu só quero tentar definir o que é exatamente a burrice, ou entender o que ela é pra você.

Quando fazemos uma coisa errada, sempre tem alguém do lado que diz: “Deixa de ser burro”! Mas só porque errei, eu sou burra?
Me ajudem, eu tenho o raciocínio lento... As pessoas dizem que errar é humano, mas quando erramos, dizem que é burrice. Então é natural o ser humano ser burro? Mas, nós não somos os únicos seres racionais até agora descobertos? Essa história tá contraditória!
Errar significa que você fez algo errado. Pra identificar que essa coisa está errada, você tem que ter o conhecimento de como é essa mesma coisa da maneira certa. Então você tem conhecimento sobre o seu erro, tendo conhecimento, não pode ser julgado como burrice.
A meu ver, burrice é a falta de querer o conhecimento. Se você não sabe de algo, não pode ser julgado como burro só porque não sabe da tal coisa. Agora, se você não souber, tiver a oportunidade de saber, e não se interessar em saber daquilo; Ai sim podem chamar de burrice.
Burrice é renegar o conhecimento.

Nós não temos a obrigação de ter todo o conhecimento do mundo, e acho que nem tem como. As pessoas têm inteligência nas áreas em que elas têm mais conhecimento. Eu não me considero burra por não saber matemática direito, mas me considero burra quando não quero aprender.
Um químico não tem obrigação de entender sobre futebol, um jogador de futebol não tem obrigação de entender sobre arquitetura, um arquiteto não tem obrigação de entender sobre notas musicais, um músico não tem obrigação de entender sobre agronomia...
As pessoas conhecem o que as rodeiam, o que elas gostam, o que é necessário para suas profissões, e nenhuma delas pode ser julgada como burra só por não saber de certo assunto. Não dá pra armazenar todas as informações do universo; não é cérebro?

Além de tudo isso, ficar por ai chamando as pessoas de burras pode ser considerado bullying. Ninguém tem o direito de julgar qualquer pessoa, seja ela quem for. Ainda não deu pra entender isso?
Cuidado com o que fala, porque normalmente o feitiço acaba virando contra o feiticeiro.

Todos nós cometemos erros, nos enganamos todos os dias, nos confundimos, fazemos coisas sem pensar direito, mas ninguém aqui é burro. Nem mesmo as loiras!

Xero... da Cereja que está feliz por aprender.


A partir de agora, vou colocar não apenas o link das músicas relacionadas aos post’s, vou colocar a letra também, pra poupar o tempo de vocês, e vê se alguém se interessa pela música :oD

E já que ninguém tem obrigação de ser como todo mundo:


Um dia me disseram
Que as nuvens não eram de algodão
Um dia me disseram
Que os ventos às vezes erram a direção
E tudo ficou tão claro
Um intervalo na escuridão
Uma estrela de brilho raro
Um disparo para um coração
A vida imita o vídeo
Garotos inventam um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez
Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter
Um dia me disseram
Quem eram os donos da situação
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem essa prisão
E tudo ficou tão claro
O que era raro ficou comum
Como um dia depois do outro
Como um dia, um dia comum
A vida imita o vídeo
Garotos inventam um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez
Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter
Um dia me disseram
Que as nuvens não eram de algodão
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem essa prisão
Quem ocupa o trono tem culpa
Quem oculta o crime também
Quem duvida da vida tem culpa
Quem evita a dúvida também tem
Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter